Bodyboarding: o mercado brasileiro e seu despreparo e sonolência

O mercado nacional sofre já a algum tempo com a falta de boas opções quando se fala em comprar uma prancha de bodyboard. Já não bastasse a completa falta de lojas físicas especializadas (diferente de países como EUA e Austrália), o mercado foi dominado por marcas nacionais que pouco ou nada acrescentaram nos últimos 10 ou 15 anos em termos de inovação e investimento. São utilizados os mesmos materiais, os mesmos modelos, as mesmas cores, enfiados goela abaixo dos consumidores ditos “comuns” e também da maioria dos atletas profissionais que não tem nenhum tipo de apoio ou patrocínio e tem que pagar as pranchas do próprio bolso. Enquanto isso no exterior houve uma enxurrada de novas tecnologias e desenvolvimento de novos blocos e produtos, mudando completamente o mercado.

Isso acabou nos últimos anos criando no Brasil uma grande procura por pranchas importadas, e junto com a facilidade de compra através da internet, o que vemos hoje é uma avalanche de marcas estrangeiras nas ondas brasileiras. Difícil ir a algum pico tradicional do esporte hoje em dia e não ver alguém com equipamento importado. Com a estabilização do dólar americano, essas pranchas acabaram se tornando um belo negócio também financeiramente, saindo por quase o mesmo preço dos “pré-históricos” modelos nacionais. Se for colocar na balança os quesitos qualidade de construção, variedade de materiais e etc, fica claro o porque de toda essa procura. Hoje então já se consegue comprar um modelo importado inclusive de alguns sites com estoque localizado no Brasil, como é o caso da loja B2BR, que nem vende pranchas nacionais. Isso mostra como o produto importado vem engolindo a produção nacional nos últimos anos.

BP_comp

Quatro diferentes opções de blocos de um mesmo modelo (NMD Ben Player) , disponíveis no mercado australiano. Da esq. para a dir.: Parabolic, Pro Ride, Kinetic PP e NRG / imagens: bodyboardking.com

Mas tudo isso não é por mero acaso. Enquanto lá fora temos até 4 ou 5 tipos de bloco para cada modelo de prancha, com opções para diferentes temperaturas de água, ondas e estilos, aqui o mercado está limitado a blocos muito duros, colocando sempre a durabilidade da prancha em primeiro lugar, algo que em condições extremas de onda pode até ser perigoso. Parece até que a essência única e singular do esporte, que é a flexibilidade da prancha em comparação as pranchas de surf, foi colocada de lado. A justificativa seria a dificuldade de importação de matéria prima de qualidade, o que encareceria ainda mais as já caras pranchas nacionais. Mesmo as pranchas importadas ainda vendidas aqui, são oferecidas em apenas uma opção de bloco, logicamente o mais duro.

  Aqui chegou-se ao cúmulo da maior marca do país anunciar em seu próprio site pranchas de uma outra marca portuguesa, atestando e assinando embaixo inconscientemente (ou seria conscientemente?) a pouca qualidade do produto nacional. Imaginem uma marca de carros vender em seu site carros importados de uma outra marca concorrente. No mínimo uma estratégia sem pé nem cabeça, pra não dizer outra coisa.

image007

Exemplo de publicidade na Austrália: a prancha que o campeão Ben Player usa é a mesma que você encontra na loja / imagem: bodyboardking.com

  E assim tem caminhado as marcas e o mercado de produção nacional, sem materiais de qualidade, com preços no mesmo patamar de produtos importados ou até mais caros, e sem uma identidade visual ou valor de marca que faça com que os consumidores se sintam atraídos por seus produtos. Lá fora é nítida a preocupação das marcas de ponta com o “link” entre os atletas e seus modelos de prancha, os chamados “pro models”. Todos sabem o poder que as cores tem e o quanto isso pode fazer diferença em uma venda, e as suas diferentes combinações são realmente levadas a sério e seguidas à risca. Todos acabam sabendo a qual atleta pertence aquele modelo, simplesmente pela combinação de cores da prancha. Isso se chama “identidade”, e pra uma marca é o bem mais valioso junto de sua qualidade. Enquanto isso no Brasil vemos profissionais cada hora com uma prancha com combinação de cores diferente, e não existem “coleções” de ano para ano. Os mais jovens querem usar a prancha que o campeão usa, isso é mais do que óbvio. Mas qual a cor da prancha e que tipo de rabeta que o super campeão mundial Guilherme Tâmega usa por exemplo? Não sei e ninguém sabe, cada hora é uma diferente. E é aí que está o grande erro. Na verdade o Brasil é uma mina de ouro em tamanho de mercado e número de praticantes, mas essa mina é simplesmente jogada no ralo pela pobre estratégia das poucas e sonolentas marcas nacionais.

  Talvez em 2014 algo mude de figura, já que a Genesis está fabricando a sua linha “high end” na mesma fábrica que produz algumas das melhores pranchas do mundo, estratégia essa que vem sendo usada no mundo todo para padronizar qualidade e baratear custos de produção.

  Bom, nos próximos posts vou entrar em mais detalhes sobre o mercado mundial, descrever o comportamento de alguns tipos de materiais na água, e também já tenho em mente alguns posts sobre a história do esporte e competição, inclusive tentando decifrar o que acontece com o atual circuito mundial da IBA. Tem muita coisa ainda e isso aqui foi só o começo.

  Boas ondas e te vejo na água!

  Paulo Fleury

 

Advertisements

99 thoughts on “Bodyboarding: o mercado brasileiro e seu despreparo e sonolência

  1. Adorei o post Fleury!
    Eu mesma já te enchi o saco para saber qual o melhor modelo de prancha para comprar…rs
    Já virei seguidora!

  2. Boa Paulo, parabens pela iniciativa.

    Assunto não vai faltar, já que além do mercado o conteúdo sobre o bodyboard também é escasso.

    Abrs

  3. Cara a B2BR tem o modelo fabricado por eles, a própria B2BR que é nacional e apoia atletes como eder luciano com prancha exclusiva para ele de ótima qualidade, assim como a do Rodrigo Monti, e outros modelos da marca, com um material muito bom, mas com certeza faltam mais opções no mercado nacional

    • Valeu pelo comentário Pedro, só que as pranchas da B2Br são feitas na Indonésia na mesma fábrica (Broady Asia) de todas as outras pranchas, ou seja, elas são importadas e não fabricadas aqui como foi discutido no texto. Fora que todos os modelos usam uma pele chamada Crosslink (também conhecida como IXL ou DuraDeck e que já não é usada pelas grandes marcas nos melhores modelos a mais de 10 anos) e contam com 2 stringers, deixando a prancha muito rígida. Em um mar grande e buraco vira questão de segurança, ninguém quer dar uma “quicada” em um drop numa onda de 2,5 metros. Nosso esporte em ondas grandes é extremo e é a sua “cabeça” que está em jogo. Talvez essas pranchas atendam bem aquelas ondas mais fracas, “do dia-a-dia”, mas em condições extremas nada chega perto da qualidade e variedade de qualquer marca internacional. A própria B2Br coloca suas pranchas em um valor inferior aos modelos internacionais, pra mim isso apenas atesta que as pranchas não tem a mesma qualidade.

  4. Caro Fleury Jr. e o q vc acha das pranchas da marca Genesis e seu bloco duralight? E em termos nacionais (Brasil) quais marcas indicaria? Grato.

    • Olá Daniel, primeiramente obrigado pelo comentário. As pranchas Genesis são super bem feitas para o padrão nacional, mas tem uma combinação de materiais muito duros. O bloco duralight pode até ser comparado com o polypro utilizado nas pranchas importadas (em materia de flexibilidade), mas é sempre combinado com um fundo de material duro e também um deck que não tem muita flexibilidade. Aí não tem jeito, bloco duro +fundo duro +deck duro = prancha dura. Acredito que hoje em dia nenhuma prancha fabricada no Brasil tenha um nível satisfatório para ser usada em ondas grandes e com força. As próprias marcas brasileiras estão indo atrás da fabricação fora do país pela melhor qualidade dos materiais, e logicamente pelo custo. A própria Genesis lançou uma linha fabricada na maior fábrica de bodyboards do mundo, localizada na Indonésia. Eu sugiro que você busque uma prancha feita fora do Brasil, hoje em dia você encontra pranchas importadas muitas vezes por preço inferior as nacionais. O site da B2BR tem várias opções a pronta entrega. Existe a opção também de comprar diretamente em sites internacionais. Qualquer dúvida estamos aí, abraço!

  5. Gostei muito da sua matéria, eu gostaria de saber como eu consigo uma prancha com a minha marca com preço competitivo no Brasil????

    Grato!!!!

    • Prancha com a sua marca? Eu imagino que no Brasil talvez a Gênesis possa fabricar pranchas para outras marcas. Fora do Brasil existem duas fábricas que já fazem esse tipo de coisa, a Agit em Taiwan e a Broady Asia na Indonésia. Talvez a pessoa responsável pelas pranchas da B2BR possa te dar mais informações, já que eles já trabalharam com essas duas fábricas. Um abraço!

  6. Caro Fleury, penso em comprar uma GT Board. Ouvi muito bem delas e a que intento adquirir seria a Mega T… Já teve a oportunidade de surfar com uma destas? Grato.

    • E aí Daniel, tudo bem? Então, se você vem de uma prancha nacional (Genesis e similares), a GT é sim uma boa prancha. Caso você já esteja acostumado com pranchas importadas, principalmente as fabricadas na Broady Asia na Indonésia (NMD, VS, Pride, Morey, Science, Hubboards e Sniper entre outras) eu não recomendaria pela qualidade um pouco inferior de acabamento. Nunca surfei com uma Mega-T nem nenhuma GT, mas são pranchas boas sim. Eu especificamente não compraria pra mim, já estou a algum tempo acostumado com pranchas da NMD e VS, até pela maior oferta de combinações de bloco e shapes mais direcionados para ondas rápidas e bem buraco. Abraço e qualquer outra dúvida estamos aí!

      • Entendo. Tem razão sim, só surfei até hj (3 anos de surf) com Gênesis, então, será uma grande mudança para mim, surfar numa GT…um avanço até!!!!..kkkkk. Obrigado e continue com novos posts…!!!

  7. Parabéns Fleury pelo blog, alias um dos poucos que valem apena ler em termos de bodyboard, esse esporte que anda tão esquecido e com poucas referências, ainda mais para alguém como eu que estou inciando as atividades. Gostaria de deixar dicas aqui sobre alguns tópicos que seriam interessantes para abordar, como: Posicionamento na prancha e na água, técnicas de drop e manobras, como cuidar dos materiais (prancha e pé de pato) e como escolher também. Curti muito os post sobre os tipos, modelos e marcas de prancha, muito esclarecedor, principalmente pra mim que estou usando uma rara BZ Diamond, que pra inicio está me ajudando mas já to vendo de trocar rs. Não perca essa pegada não que ainda tem muita coisa para ser falada!!! Mais uma vez parabéns cara!!

    • Valeu cara, obrigado mesmo pelo feedback! Realmente tem bastante coisa pra ser falada, tenho aqui uma lista de assuntos pro futuro. E quanto a sua prancha, eu sugiro que você troque o quanto antes, as pranchas atuais são muito mais modernas e vão te ajudar a evoluir muito mais rápido. grande abraço!

  8. Estou estudando a compra de um bodyboard novo… entrei em contato com a B2BR para comprar.. e eles querem me enfiar goela abaixo o body fabricado por eles.. tenho 1,83 e 100Kg.. estava pensando em uma 43! ou 42?
    A questão é que eles vendem a marca FOUND, voce saberia me informar se é boa?..
    o que voce me sugere a fazer? poderia me dar um help?

    • E aí Pedro, ajudo sim, com o maior prazer!

      Então, as pranchas Found são boas mas são bem específicas pra ondas muito rápidas, e são pranchas super finas e estreitas. No seu caso eu acho que não iria funcionar muito, então até recomendo a prancha da B2BR, mas recomendo o modelo top deles com fundo de Surlyn, já que a prancha em geral já é meio dura mesmo… acho que pra vc 43 é muito grande, eu tenho 1,92 e 85 kilos e não consigo surfar com prancha tão grande assim. Acho que pra vc uma 42,5 com bastante borda funcionaria bem, não sei se eles tem prancha desse tamanho por lá. Outra alternativa é a loja W9, eles são do Rio e tem perfil no Facebook, fala com o Walter e ele te ajuda por lá, eles tem algumas pranchas da Nomad, talvez te ajude… fora isso só lá fora mesmo, eu sempre tenho problema encontrando prancha por aqui, então o jeito é comprar lá fora mesmo! Sei que agora o dólar não tá ajudando, mas sempre tem promoções nas lojas e muitas vezes vale a pena pagar um pouco mais, e comprar aquela prancha do tamanho certo! qualquer outra dúvida estamos aí, abraco!

  9. Cara, primeiramente gostaria de lhe parabenizar pelo blog, é excelente!!! Em segundo adoraria a sua opinião para a compra de uma prancha. Surfo desde novo, quando tinha uns 13 anos (comecei com um BZ), mas infelizmente devido a falta de tempo acabei parando por um tempo (hoje estou com 23, parei quando estava com uns 18 ou 19, de lá pra cá foi rara as vezes que cai na água). Ando meio desatualizado e seu blog já ajudou grandiosamente (por favor continue sempre! rsrs), mas no meu caso gostaria de adquirir uma prancha profissional porém com um custo não muito alto (ultimamente tá meio brabo de grana rs). Andei vendo algumas da Genesis, dentre elas, segue uma no link abaixo:

    http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-717752815-bodyboard-genesis-daniel-rocha-42-_JM#questionText

    Me parece boa, mas gostaria muito da sua opinião e também de alguma indicação com pranchas com uma faixa de preço razoável.

    Agradeço desde já e imensamente sua ajuda cara!

    • E aí Leonardo… obrigado pelo apoio, preciso voltar a escrever por aqui, o feedback sempre foi muito bom, agradeço mais uma vez. Então, eu não recomendo pranchas da Genesis, são pranchas com preço bem elevado se analisarmos o material oferecido. Eu recomendo você a procurar uma prancha importada, com materiais de ponta, vai te ajudar a voltar a surfar com mais facilidade e te permitir pegar ondas melhores. Essa prancha que você colocou o link eu acho ok pra ondas sem força e mares menores. Mas já que você quer voltar a surfar, eu recomendo um equipamento melhor, inclusive pra te motivar a voltar com vontade e não encostar a prancha de novo. Pranchas importadas podem ser encontradas nas lojas virtuais B2BR e também na W9. Elas enviam pro Brasil todo. Caso tenha outra dúvida é só me perguntar. Valeu!

        • Então, como eu te disse sugiro que você compre a melhor prancha que puder, essa da B2BR é legal mas o preço dela é bem próximo de marcas como VS, Pride e Stealth, que tem qualidade superior. Eu iria por aí, gastar uma grana vai te obrigar mesmo a ir atras das ondas e se interessar a surfar de novo, ainda mais com uma prancha de 1a linha. As pranchas da 5C eu particularmente não conheço pessoalmente, mas imagino que sejam feitas na fábrica de Taiwan que fabrica as pranchas GT e outras marcas também, então são pranchas boas sim. Fique sempre atento pra tentar comprar pranchas com a combinação de deck NXL, bloco PP e fundo Surlyn. Esse é o melhor “sanduíche” possível e qualquer coisa diferente disso é jogar $$$ fora. Essa prancha da B2BR por exemplo tem deck Crosslink, que é super duro e bem lento nas cavadas. Não vou nem comentar dos materiais de uma Genesis por exemplo, que não tem acho que nenhuma dessas opções que eu falei. É isso, abraço!

          • Então Paulo, acabei sismando com as pranchas da B2BR… Tô de olho nessas duas aqui, mas na maior dúvida de qual escolher. A maior diferença entre ela é a largura da prancha. Quanto aos materiais estão seguindo o sanduíche que você falou. Quero uma prancha que vá me favorecer nas manobras.

            Shape estreito:
            http://www.b2brshop.com.br/produto.php?nome=prancha-de-bodyboard-b2br-classic-ltd&id=284#aba-descricao
            ou
            Shape mais largo:
            http://www.b2brshop.com.br/produto.php?nome=prancha-de-bodyboard-b2br-rebel-ltd&id=281

            • Bom, aí vai então do seu critério de escolha, as outras marcas que eu te falei tem um acabamento bem superior e inclusive tem versões mais baratas que esses modelos da B2BR. Quanto a essas opções, eu acho que vai muito das ondas e de como você quer surfar, eu acho esse modelo Rebel um absurdo de largo, o wide point é mais largo que muitas pranchas da década de 90, e em um mar com tamanho ela vai demorar uma eternidade pra cavar e trocar de direção. Acho que esse modelo Classic já tem uma largura bem razoável e é ela que eu te indicaria (tirando as outras opções superiores né). Acho que é isso, qualquer outra dúvida estamos aí. Valeu!

              • Vlw Paulo!! Obrigadão por toda a força cara! E Desculpa toda a perturbação! kkkk
                Vou seguir acompanhando aqui seu blog que tá dando pra aprender bastante! Espero novos posts! Abraço e obrigado mais uma vez!

                • Eu que agradeço, e tá bem longe de ser “perturbação”, respondo e ajudo com todo o prazer. Mês que vem tem post novo provavelmente sobre nadadeiras, fica de olho! abraço!

  10. Caro Fleury, com essa alta do dólar vemos uma prancha importada quase o dobro de uma nacional, como uma Genesis por exemplo. O que pergunto é até que ponto uma prancha importada faz a diferença num mar do Nordeste do Brasil, meu caso? E qnt a pranchas nacionais qual a “menos ruim”? Grato….

    • E aí Daniel, primeiramente obrigado pela audiência aqui no blog. Quanto às pranchas importadas, ainda é possível encontrar pranchas de estoque antigo aqui no Brasil com preço abaixo dos 1000 reais, então eu recomendo que você corra e garanta a sua. Praticamente todas as pranchas nacionais são feitas na fábrica da Genesis, com os mesmos materiais e a mesma mentalidade de durabilidade em primeiro lugar. Eu não recomendo nenhuma delas, acho que vale sempre o investimento em algo de qualidade mesmo que se gaste mais dinheiro. Nesse momento existem algumas promoções em lojas gringas, com pranchas numa média de 200 dólares americanos. Mesmo com o frete você consegue comprar algo abaixo dos 1000 reais e torcer pra não ser taxado pela receita. Acho que é isso. Abraço!

  11. Boa tarde amigo,
    Fico feliz em encontrar um blog que divide e aprimora os nossos conhecimentos sobre o nosso esporte. Surfo há mais de 15 anos (com alguns períodos de afastamento) e confesso que era “ignorante” com muitas coisas aqui desvendadas. Uma pena que não conhecia esse blog antes de algumas trips que fiz para a Costa Rica e Peru.
    Enfim, escrevo para pedir uma orientação. Agora estou me preparando para uma viagem à Indonésia e quero fazer uma revisão de equipamentos, em especial a prancha. Atualmente tenho uma FOUND Mitch Rawlins Series LTD PP e funciona muito bem para mar cavado e com um tamanho aqui nos sul (Fpolis/SC). Porém, impressão minha ou não, não desenvolve muito bem com mares pequenos do dia-a-dia (0,5 – 1,0m) e mais cheias.
    Assim, penso em adquirir 2 (duas) pranchas, as quais pretendo levar junto com a atual para a Indonésia em maio, sendo que uma delas mais voltado para essa situação do dia-a-dia. Considerando o mar de lá (água quente) e daqui (água normalmente fria), que pranchas você indicaria?
    Confesso que tenho visto as pranchas da BR2, em especial a “Classic LTD” (Prancha de Bodyboard B2BR Classic LTD Freedom6 core, NXL, Surlyn®, 2 stringers, nose bulbs, contorno de deck), pois após conversas com o pessoal da loja, eles me disseram que as outras que dispõe VS /Found (e outras gringas) são todas muito parecidas (shape) da que possuo atualmente.
    Quanto ao material, li aqui você afirmando que a combinação de deck NXL, bloco PP e fundo Surlyn seria a melhor pedida. Pergunto também: seria para qualquer condição de mar (água quente e fria)?
    Infelizmente não temos lojas que possamos “ver” as pranchas com as próprias mãos e solicito um apoio para não fazer uma compra no escuro.
    Agradeço a atenção e força que tem dado a muitos que te seguem.
    Um grande abraço

    • E aí Luis, tudo bem? Então, o que você disse sobre a Found está corretíssimo, é uma prancha pra ondas cavadas e com força, não anda muito em ondas pequenas mesmo. Eu não recomendo as pranchas da B2BR pelo simples motivo de terem 2 stringers, o que acaba limitando bastante a flexibilidade, a não ser que você surfe no Nordeste do país onde a agua é muito quente e as ondas pequenas. Eu sugiro que você entre em contato com o Walter da W9, ele recebeu um estoque grande de pranchas das marcas Funkshen, Nomad, Erizos e QCD, então acredito que deva ter algo que se encaixe no que você deseja.

      Quanto ao que te falaram sobre a Found ser parecida com outras pranchas, eu não concordo, talvez a Pride do Jared Houston lembre alguma coisa por ter o bloco bem fino. Mas se você tiver interesse recomendo também de olhos fechados as pranchas VS. que a B2Br ainda tem em estoque, principalmente o modelo Ryan Hardy. Não sei que tamanho que você usa senão já te ajudaria com outro modelo de repente. Lógico que eles da B2BR vão querer vender os modelos deles onde deve ter uma margem de lucro maior, mas sinceramente acho pranchas muito duras e largas.

      Quanto a combinação de materiais, essa que eu falei é a mais usada por todos os atletas mais conceituados do mundo a mais de 15 anos, pra qualquer condição. O que muda geralmente é a densidade e tecnologia do bloco e o número de camadas de tela, e mais recentemente também a resistência do stringer.

      Eu acho que com uma prancha Vs. e uma outra lá da W9 (Funkshen, QCD e etc.) você tá super bem servido pra qualquer viagem em qualquer tipo de onda.

      Valeu, abraço!

      • Complementando. Entrei no site do bbking e encontrei essa da NMD: “Ben Player ISS PFS-2 Polypro Core Bodyboard – This Board Includes ISS Base Flex Stringer” que foi comentada aqui no blog por você. Ela tem características singulares para um tipo de mar como a Found?

  12. Boa tarde novamente,
    Show!! Eu tenho 1,76cm e 77 kg. Logo, acredito que o tamanho 41 seria o ideal não?
    Se a minha lógica está “correta”, que pranchas você aconselha para fazer esse contraponto, considerando o mar do dia-a-dia do sul e a viagem também? Ou seja, que consiga utilizar em mares em que a minha atual não “favorece” tanto.
    Eu entrei no face do W9, mas não consegui as informações de estoque, já que o site deles está em manutenção.
    Abração!

    • Imagino que sim, uma prancha 41″ ou 41,5″ seria o ideal. Tem o modelo do Joe Clarke e também o Jake Stone que já andariam mais que essa sua prancha. O ideal mesmo seria uma Ben Player, mas não vende mais aqui. Na W9 eles tem a Funkshen Ryan Hardy 41.5, manda uma mensagem pelo FB que eles respondem… o site deve entrar no ar essa semana se não me engano. É isso, abraço!

  13. Eae Fleury, blza? Primeiramente parabéns pelo blog, realmente é difícil de conseguir informações sobre bb e também pessoas que tenham a disponibilidade de ajudar.
    Vi em um post anterior que você meio que indicou as pranchas com 2 stringers para mares pequenos e muito quentes, como os do Nordeste. Bom, sou de Natal e estou na dúvida pq as pranchas que encomendamos por lá são as gênesis e normalmente elas sempre vem com 2 stringers e outros materiais que acabam deixando ela como uma pedra de dura. Estava pensando exatamente em tentar alguma só com uma stringer. Para o mar de lá vc não recomendaria o “sanduíche” que você falou mais acima? Pois estava pensando em comprar uma VS, já que para encomendar uma Gênesis está girando em torno de R$650.
    Outra coisa, hoje estou com 82kg e 1,82. Provavelmente uma 42 seria o ideal? Ou Abraço!

    • Bom, vamos lá… Primeiro agradeço o elogio e o comentário. O que eu recomendei pra água muito quente foi o “sanduíche” clássico com dois stringers, e não o que a Genesis e outras marcas nacionais (que são inclusive feitas pela Genesis) usam, que é um deck super duro (dura-deck geralmente), com bloco duro e fundo HDPE duro. Aí não existe salvação, a prancha vai ser um concreto mesmo.
      As marcas de fora ainda fazem alguns modelos com dois stringers (Pride por exemplo), apesar de isso ter caído em desuso nos últimos anos principalmente por conta da localização lógica dos stringers na prancha, eles vão ficar muito próximos dos cotovelos limitando ainda mais a flexibilidade. Hoje em dia novas tecnologias tomaram o lugar desse tipo de prancha e com o ISS (já abordado aqui) é só você colocar um stringer de carbono e pronto, sua prancha já aguenta a água quente do Nordeste. Pode-se usar também como alternativa uma prancha com 1 stringer fixo e tela dupla, mas essa combinação pelo que eu me lembre talvez só numa prancha custom mesmo. Mas recomendo qualquer coisa diferente das jurássicas pranchas nacionais, acho que mesmo durando menos pela maior flexibilidade a performance de algo com PP + surlyn + deck PE/Sealed Air é inigualável. Já surfei aí em Natal e uma prancha com 1 stringer funciona sim, mesmo com a água super quente. Quanto a tamanho escrevi em outro post que depende muito do shape da prancha, uma Pride Houston 42 nunca vai ter a mesma flutuação de uma GT 42 por exemplo, então recomendo você tentar testar modelos diferentes até chegar em algo que funcione. Eu por exemplo tenho 1,93 de altura e uso pranchas 42,5 como as NMD Ben Player ou Science Pocket… Pela tabela de altura essa prancha seria pequena pra mim, então não existe receita pronta. É isso, espero ter ajudado! Abraço!

      • Fala Fleury, eu de novo rsrs.
        Estou com viagem marcada para Santiago começo de maio e tenho um amigo que surfa bb por lá e estamos pretendendo fazer uma surf trip em algumas praias.
        Estava para comprar por agora minha prancha mas com essa viagem e as opções que ele diz que tem de pranchas por lá, resolvi esperar. O problema é que me lembrei a questão da temperatura da água e lá a água é muito fria e em Natal… precisa nem falar rsrs.

        Acho que vou ter que morrer em 2 pranchas talvez. Em relação aos materiais utilizados para comprar uma aqui pra Natal, as GT e VS você acha que estariam em um mesmo patamar, vamos diizer assim?
        Estou olhando esses modelos aqui 42”: http://www.b2brshop.com.br/produto.php?nome=prancha-de-bodyboarding-vs-joe-clarke-ltd-contour&id=230#aba-descricao ; http://www.uvstore.com.br/bodyboards/gtboards-iron

        Abraço e obrigado mais uma vez!

        • Cara, você vai pro Chile e quer comprar prancha aqui??? Por lá tem todas as marcas e modelos, tipos de bloco e tudo mais. Só comprar uma prancha com um stringer simples ou até uma ISS e já era, caso resolvido. Agora comprar prancha aqui pra fazer viagem internacional, isso não existe! Lá no Chile você encontra por exemplo todas as NMD (Parabolic inclusive), então te recomendo a não comprar absolutamente nada por aqui. Caso tenha dúvida em qual modelo comprar por lá, estou a disposição pra te ajudar. Abraço!

      • Na verdade iria comprar uma aqui e outra lá rsrs pois não saberia dizer se lá teriam pranchas também para mar quente ou só as para o mar frio de lá rsrs.

        Abraços.

        • Então, o mercado chileno tem todas as principais marcas, numa procura rápida aqui já achei o site da NMD por lá: http://www.nmdchile.cl

          Como eu te disse se você comprar uma prancha com stringer simples dá pra surfar na agua gelada tranquilamente. Eu sugiro que você compre por lá uma prancha com bloco PFS, que é o que existe de melhor no mercado hoje. Caso queira uma prancha mais dura pra surfar no nordeste eu sugiro uma PP com sistema ISS de troca de stringer, que vai se encaixar bem em aguas mais quentes com um stringer mais duro. Essas duas pranchas tem aí nesse site que eu te passei. Espero ter ajudado! abraço

  14. Boa tarde! Primeiramente parabéns pelo blog! Estamos precisando de blogs assim, com pessoas coerentes que dizem o que pensam, diferentes daquelas matérias pagas que estamos acostumados a ver… Estou precisando de uma ajuda sua, pego onda desde 12 anos (tenho 37) mas confesso que agora depois de velho que passei a me dedicar mais a esse esporte…tive uma Bz e agora estou com uma Genesis Paulo Barcellos e queria investir em uma prancha de melhor qualidade. Só que meu conhecimento está defasado e estou perdido em relação a que marca comprar. Procurei muito em fóruns, matérias sobre o assunto e não tive sorte, só aqui nessa pagina e em outra matéria que vc fez sobre novos materiais que pude ter uma visão melhor sobre o que fazer….minha maior dúvida é em relação a marcas (já tirei a genesis da cabeça) quais delas vc acharia melhor Found, Pride, stealth, Vs ou gt (se puder enumerá-las em sua opinião ficaria muito grato) ? Tenho 1,69m e 80kg (vou chegar aos 76kg) estou pensando em pegar uma 41″ pois a 41,5″ genesis fica a conta quando carrego embaixo do braço e sua altura quando colocada na vertical no chão passa um palmo do umbigo….será que a 41 serviria? Desde já agradeço a sua ajuda e atenção!

    • Obrigado Novaes, é difícil mesmo encontrar qualquer algo escrito sobre equipamentos, mesmo em inglês. Valeu!
      Quanto a prancha, eu recomendo uma 41.5 mesmo, por causa do seu peso. Qualquer prancha gringa hoje em dia vai ser mais estreita que essa sua Genesis, então no fim acaba compensando. Das que você falou eu recomendo uma VS, ainda se acha estoque antigo dessas pranchas na B2BR. As outras marcas que vc citou são pranchas bem estreitas e super específicas, então caso você queira dar uma olhada em outras pranchas recomendo também o site da loja W9. Essa loja fica no RJ e eles têm bastante variedade de pranchas e enviam pro Brasil todo.

      http://www.wnine.com.br

      Das pranchas a venda hoje em dia recomendo pra você uma Funkshen Ryan Hardy ou uma GT, que tem um desenho um pouco mais largo. Mas sempre lembrando que isso é muito específico, vai das ondas que você costuma surfar e também da sua linha de onda. Não existe fórmula pronta, por isso sempre falo pra tentar surfar com pranchas diferentes pra tentar descobrir pelo menos o que não funciona. Mas indo de uma Genesis pra qualquer prancha importada a diferença já vai ser nítida! Espero ter ajudado, abraço!

  15. Obrigado irmão! Me deu uma luz e tanta…., só estou meio indeciso ainda em relação ao tamanho, pq essa minha genesis em mar um pouco maior passo maior sufoco, optei por essas 3 : http://www.uvstore.com.br/gtboards-uv-signature , http://www.uvstore.com.br/bodyboards/gtboards-megat, http://www.b2brshop.com.br/produto.php?nome=prancha-de-bodyboard-stealth-nick-gornall-reflex&id=300 , só meio na duvida porque a Stealth tem 3 stringes, deve ser bem dura! Grande abraço e mais uma vez obrigado!

    • Então, essa Stealth aí pode esquecer, esse bloco NRG é pra água fria, bem mais mole. Das outras duas acho que o modelo do Uri Valadão é um pouco mais larga, acho que seria melhor pra você. Não entendi o que você disse sobre passar sufoco em mar grande por causa da prancha, geralmente é ao contrário em um mar sem muita força! Valeu!

  16. Boa tarde!! Parabéns pelo blog e pela iniciativa de compartilhar seu conhecimento conosco. Estou pesquisando para adquirir um novo bodyboard e sempre me pego pela falta de opções do mercado brasileiro(cor,tamanho,modelo,especificações,etc). Encontrei alguns modelos interessantes no site “Bodyboard King”(fica na Austrália) e gostei da opção de poder alterar os valores para nossa moeda(BRL), além de poder despachar para o Brasil. Alguém já comprou bodyboard nesse site ou em outro site no exterior? Se foi taxado o que foi necessário fazer para liberar o produto. Abraços e boas ondas!! 😀

    • E aí, tudo beleza? Já comprei no BBKing e não tem problema nenhum. Apesar de aparecerem valores em Real sempre será cobrada a moeda local e convertido depois pela sua operadora de cartão. Quanto a taxação vai da sorte e do bom humor dos fiscais da alfândega. Pra liberar depois de taxado paga-se 60% do valor declarado na hora do envio. Com o dólar nas alturas como está não sei se vale a pena, hoje temos algumas lojas que tem estoque aqui e por um valor bem parecido com frete grátis e sem taxação. Dá uma olhada na wnine.com.br, eles têm bastante variedade! Espero ter ajudado, valeu!

  17. Caro Fleury entrei no site da b2br e vi a VS q vcs falam….acredito ser modelo antigo, mas uma VS. Tam 42.25, com bloco Kinetic PP seria uma boa para as águas quentes do Ceará e meu tamanho 1, 84 com 85 kg? A e o q acha da marca Respect? Abração.

    • E aí Daniel, tudo beleza? Cara, eu recomendo essas Versus de olho fechado, não tem o menor problema em ser modelo antigo. O material é de alta qualidade e anos luz à frente de qualquer coisa nacional. Esse tamanho tá excelente pra você também. Quanto às Respect, eu pessoalmente não compraria, são feitas na China e o acabamento não se compara ao resto do mercado. Por esse preço acho que essas Versus ainda são imbatíveis. Valeu, abraço!

  18. Prezado Fleury,
    entrei aqui para ler seu blog e gostei muito.
    Como vi que você responde as dúvidas da galera entrei pra pedir sua opinião também.
    Estou procurando uma prancha. Sou mulher, tenho 1,60 m de altura e peso 49 kg.
    Pesquisando na net vi que o ideal para mim seria uma prancha tamanho 39.
    O problema é que é bastante dificil encontrar na net uma prancha desse tamanho. Das gringas, não vi nenhuma..
    Só vi em site gringos mesmo, mas ai importando a prancha nao vai sair por menos de 2000 reais, com dolar alto e imposto, e isso ta bem fora do meu orçamento.

    Peguei onda a vida inteira com uma Genesis e confesso que fiquei surpresa ao ler as criticas em relação às pranchas deles.
    Comprei a minha em 1997, pego bastante onda, já viajei diversas vezs com ela e posso dizer que a prancha esta nova, as pessoas nem acreditam que tem tanto tempo e tanto uso. No entanto, hoje em dia vejo umas genesis bem tosquinhas, acho que houve alguma mudança na linha de produção deles pois as pranchas parecem mesmo ter qualidade inferior.
    A minha não tem marcas de cotovelo, nem arranhoes no deck. Meu namorado comprou uma genesis ultrabat e com pouquissimo uso ja vejo marcas…

    Eu queria uma sugestao de prancha. Lembrando que dificilmente eu vou expor a prancha a situações extremas. Moro no RJ, não pego ondas grandes, no máximo 1,5m, e infelizmene só onda buraco. Qual prancha vc me sugeriria?
    Na verdade a unica critica que tenho em relaçao a minha prancha é que ela não é muito veloz. Gostaria de uma prancha mais rápida.

    Outra dúvida que eu tenho é pq a pele wavecushion é considerada melhor atualmente?
    Fui numa loja ver essas pranchas caras gringas e nenhuma tem a pele lisa, todas sao porosas. Sempre gostei da pele lisa, a porosa dá um aspecto de prancha vagabunda, por isso tenho curiosidade de saber afinal o que muda..

    Valeu pelas informações!

    • Bom, primeiramente obrigado pelo feedback. Em relação às pranchas Genesis, minhas criticas são exatamente em relação a falta de inovações, novos shapes e materiais. As pranchas são exatamente as mesmas a anos, sempre com bloco super duro, fundo duro e esse deck liso que você falou. Pra mim eles pararam no tempo e hoje qualquer mercado no mundo é muito dinâmico, você tem que saber vender o seu produto, seus materiais e seus atletas. Quem é o grande nome da Genesis hoje? Como é o shape? Ninguém sabe. Essa é a minha crítica. Em relação à pele porosa, hoje mais conhecida como “non-crosslink” ou NXL, já é sabido a muito tempo que a projeção que ela proporciona é infinitamente superior ao crosslink ou qualquer outro tipo de pele lisa. Todas os modelos high-end de todas as marcas usam pele NXL a anos, e isso não é por acaso. Lembre sempre que prancha não foi feita pra durar, não adianta ter uma prancha resistente que simplesmente não cava ou projeta. Quanto a sugestão de prancha, dando uma olhada rápida na loja W9 aí do RJ, eles têm pranchas tamanho 39.5 (da GT Boards por exemplo) que vão funcionar bem pra você. Imagino que sua Genesis seja mais larga que pranchas atuais então essa 1/2 polegada vai compensar isso. Quanto ao preço, vai custar realmente mais que uma prancha nacional, mas é o preço que se paga pela qualidade e por um mercado regulado pelo valor do dólar. Acho que é isso, espero ter ajudado!

  19. Caro Fleury, surgiu uma oportunidade e acabei comprando uma GT Boards modelo IRON, que é a mais simples das opções da marca. Acredito que o shape, por ser mais estreito que as pro model nacionais, apesar do material ser pele IXL e fundo HDPE, bloco PP e levíssima, pode ser uma boa aquisição para as ondas quentes do nordeste. O que acha? Já ouviu comentários deste modelo ? E outra, o material por ser importado e a prancha fabricada lá fora nas grandes indústrias não levariam vantagem sobre as nacionais com o “mesmo” material? Grato.
    P.S. Comprei 43 crescent com meus 1,84 e 85 kg, sempre usei pranchas deste tamanho e bat tail, acho q já me acostumei.

    • E aí Daniel, tudo bem? Bom, essa combinação de pele Crosslink e fundo HDPE é o que a Genesis usa em suas pranchas já a algum tempo. Pra ondas mais fracas e água bem quente funciona bem, mas essa prancha tá longe de ser a melhor combinação do mercado atual. O deck Crosslink não projeta tão bem e o fundo HDPE não tem a mesma elasticidade do Surlyn. Mas dependendo do tipo de onda acho uma opção bem honesta. Quanto ao fato da prancha ser importada não acho que mude muito, talvez um acabamento melhor e mais caprichado. Mas o material deve ser quase que exatamente o mesmo. O shape realmente é mais alinhado com o mercado atual e longe dos dinossauros nacionais. Acho que isso, espero ter ajudado!

  20. Blz, grande Fleury, então o composto NXL – PP – SURLYN serve para as águas quentes do nordeste tbm? Como falei acima, adquiri o pró modelo GT Iron pelas condições de mar que surfo, ondas pequenas e quentes. Agora, tbm, experimento novos shapes e vou sempre evoluindo. Na próxima prancha irei em busca da combinação deste trio ae. Grato.

    • Então, serve sim… Talvez uma prancha com 1 stringer e mais fina (como uma Pride por exemplo) não dure tanto na água tão quente, mas sempre funciona. O ideal seria deixar uma prancha dessas pros dias realmente bons, e naqueles dias menores (que a gente acaba surfando mais pra matar a fissura) você vai usando essa prancha que comprou agora. Aqui em SP eu uso uma prancha bat tail mais larga nos dias menores, e deixo uma outra mais estreita e mais mole pros dias grandes de ondas rápidas. Acho que é a mesma ideia. Valeu!

  21. Td blz, Fleury? Cara, tenho 33 anos e surfei dos 12 aos 21 direto. Nos últimos anos parei e surfei mt pouco. Tinha uma Wave Rebel comprada fora. Moro na Bahia. Estou querendo voltar e pesquisando achei seu blog e foi a melhor coisa que achei pra me informar! Tenho 1,77 e estou com 95kg no momento (engordei nos últimos anos,rsrs) Porém, meu normal seria em torno de uns 87kg. Devo pegar umas 42 ou 42,5 ? (levando em consideração que irei voltar aos 87kg). Outra dúvida, gosto muito de Drop Knee, alguma recomendação especial pra uma prancha pra usar nesse estilo e tb deitado? Obrigado e parabéns pelo blog!

    • E aí, tudo bem e você? Então, eu acho que 42,5 vai ficar meio grande pra você na altura (eu tenho 1,93m e uso 42,5), e o ideal seria mesmo uma 42 ou até mesmo uma 41,5 um pouco mais larga. Talvez seja meio difícil achar uma opção dessa visto que hoje as pranchas caminham pra desenhos cada vez menores e pra ondas cada vez mais extremas. Eu te indicaria uma prancha da marca Hubboards ou uma NMD Ben Player, são pranchas um pouco mais largas e mais grossas no geral. Se tiver disponibilidade pra comprar uma dessas lá fora seria interessante. Caso isso não seja possível acho que na loja W9 no RJ eles tem algumas opções interessantes, caso das GTBoards. Quanto a dropknee, não tenho tanto know-how pra te responder com propriedade, mas vejo sempre o Dave Winchester usando praticamente a mesma prancha que ele usa pra surfar deitado, então acho que não vai ser problema. Quanto mais pra baixo o wide point da prancha, mais curva ela vai fazer e mais fácil vai ser pra surfar de joelhos. Acho que hoje em dia as pranchas já tem um wide um pouco mais baixo que antigamente, o que facilita. Espero ter ajudado! Abraço!

  22. Buenas Paulo!
    Primeiramente, parabéns pelo blog, comecei a segui-lo a pouco tempo e li varias postagens, muito bem escritas e esclarecedoras.
    Preciso de uma dica do especialista: Surfo desde 1999, hj, atualmente tenho 32 anos, sendo 17 dentro d’agua (mas nada de muito radical, apenas por hobby).
    Já tive BZ, Manta, Genisis e agora Respect, no entanto, minha melhor prancha, que obtive melhor performance foi a manta Ciclone sem stringer, tamanho 38 e MUITO LEVE, isso faz uns 7 anos, no entanto, tive que trocar de prancha, pois nos meados de 2010, eu pesava no máximo 65kg e com 1,69cm de altura. Adora a prancha, mas obriguei-me a trocar, pois já estava batida demais eu quase 70kg.
    De lá pra cá, migrei para genisis Daniel Rocha BT, logo após Mayara CT, todas tamanho 40’, dentre elas, gostei e me adaptei mais com rabeta Crescent Tail. Ultimamente estou uma respect, double stringer, tamanho 40’ e crescente tail, gostei muito da prancha, rápida, segura em onda buraco, mas tenho vontade de pegar uma prancha menor, pois acredito ser mais “fácil” manobrar em direção ao lip, estou inclinado a pegar uma 39,5’ (39’ acho que será muita grande a troca), estou pesquisando entre GT Fire, Funshein, QCD, Erizos e QCD.
    Hoje, atualmente peso 67kg e meço meus 1,69cm.
    Que dica daria? Toco para 39’ direto, pego uma 39,5 mesmo ou mantenho 40’?

    • E aí Romeu, primeiramente obrigado! Quanto ao tamanho da prancha, eu sugiro que você pense primeiro que tipo de onda você vai surfar na maioria das vezes. Subir ou descer meia polegada tá mais relacionado a isso. Eu acho que 39″ ficaria meio pequena pelo teu peso, a não ser que fosse uma prancha exclusiva pra dias grandes e pesados. As pranchas atualmente tem menos massa e menos flutuação que antigamente (principalmente as marcas lá de fora) então eu sugiro que você mantenha o tamanho que tem usado. Os materiais e o shape mais moderno já vão te dar essa sensação de maior velocidade. Espero ter ajudado, abraço!

  23. Olá! Primeiramente obrigado pelo post! Eu pegava onda mais novo, 12-15 depois 20-25 e depois parei. Agora tenho 35 e vim morar no Recreio. Indo a praia todo dia não tem como não querer brincar novamente tô meio veio, mas acho que dá pra brincar. Tive BZ anteriormente! Nem sei o tamanho, pois quando comprei me falaram que tinha que bater o umbigo rs. De fato peguei umas marolas com ela. Enfim estou retornando querendo brincar novamente. Veja não sou atetla, quero brincar, nada de ondas de 2 metros e muito menos quero ficar pulando dessa altura com minha coluna a mostra. É um hobby mesmo, pegar umas onda normais pequenas pra curtir final de semana. A pergunta depois dessa enrolação toda é se vale gastar essa grana numa prancha dessas gringa que defende nos posts. Tenho 1,80 peso 87 kg. Eu sou um cara que curto custo benefício. Como não manjo é de nada sou um pereba do mar poderia me auxiliar na escolha de uma prancha? Vale comprar o que? E no rio onde comprar?

    • E aí cara, tudo beleza? Então, sua pergunta acho que é bastante pessoal né… Eu acho que prancha de bodyboard não é algo que se compra todo dia. Então busco sempre comprar o melhor produto possível pra não me arrepender depois ou não me adaptar direito. Pela sua altura imagino que uma prancha 41.5 ou 42 seja o caminho. O que eu sempre sugiro é uma prancha que tenha combinação de bloco de PP com deck NXL e fundo Surlyn. Aí no RJ fala com o Walter da W9, eles tem um estoque grande com opções para todos os bolsos. http://www.wnine.com.br

      Espero ter ajudado! Abraço!

        • Sugiro pra você uma prancha um pouco mais larga como uma GTBoards Mega-T. Vai te ajudar em mares menores e funcionar melhor que essa aí do link. Tem também outro modelo mais barato caso você ache essa caro, se chama Iron. As duas tem tamanho 42. Espero ter ajudado! abraço

      • Legal. Tá ajudando claro! Se entendi bem não teria problema ela ser mais rígida exatamente por eu não pegar ondas grande nem sair voando por aí, correto? O ideal pra mim seria uma prancha com maior flutuablidade para poder pegar ondas menores bem né. É isso?

        • Exatamente. A prancha do link que você colocou é mais estreita e consequentemente vai te boiar menos em ondas menores. As GTBoards são um pouco mais largas e versáteis.

  24. Fala Fleury, beleza? Eu de novo, rsrs. Cara, já tinha feito todas as pesquisas possíveis e imagináveis pra comprar a prancha lá no Chile, conforme tinha relatado em posts anteriores, mas acabou que não vai dar mais certo minha ida para lá e acabei ficando frustrado principalmente pela prancha que estava pensando em pegar lá ( http://www.nmdchile.cl/producto/nmd-mix-kinetic-pp-iss/ ) já que além dela iria adquirir outra stringer também. Enfim, fui tentar ir atrás da mesma prancha na net pra despachar lá para Natal e não encontrei. Só vi no ML mas de uma loja que nem qualificação tem. Aí fui para a b2br e vi essa found ( http://www.b2brshop.com.br/produto.php?nome=prancha-de-bodyboard-found-mitch-rawlins-series-pp-contour&id=264&cat=23#aba-descricao ). Na tentativa de pegar uma 42 (1,82m, 83kg). As NMD estão em falta e a Pride ( http://www.b2brshop.com.br/produto.php?nome=prancha-de-bodyboard-pride-benson-roadrunner&id=289&cat=108 ) só tem 41,5.

    Abraço!

    • E aí Rodrigo, acabei de fazer o review de uma Erizos aqui no blog, dá uma olhada lá… A loja que me forneceu a prancha, a W9, tem outros modelos e tamanho 42″ disponível. Abraço!

  25. E ai Fleury!!!
    Como todos os brothers já disseram aqui, excelente seu blog! mantenha-o vivo!
    Gostaria de sua opinião. Tenmho 1,87 de altura e 93kg, estou querendo trocar minha prancha e penso em pegar uma tamanho 43 seria a ideal mesmo ou a 42,5 atenderia normalmente?
    Outra coisa que dificuldade aqui no RJ de comprar uma prancha gringa nesses tamanhos.

    Abração

    • E aí cara, obrigado pelos elogios, vou postando sim assim que possível pra também o conteúdo sempre ser relevante. Quanto a sua prancha eu recomendo duas opções: uma 43 mesmo de qualquer modelo, ou uma 42,5 de algum modelo já sabidamente mais largo, algo como a Hubb ou uma GT. Quanto a disponibilidade é realmente complicado, eu uso pranchas 42,5 e acho mais fácil comprar lá fora mesmo as vezes pagando um pouco mais. Mas dá uma olhada na W9, se eu não me engano eles tinham pranchas maiores sim. Valeu, abraço!

  26. Dei uma olhada no site deles, mandei uma mensagem pedindo retorno. Já havia pensado na MEGA T, mas é como vc comentou nos outros posts a questão seria a qualidade. Tenho alguns amigos que adquiriram e não estão reclamando.
    O site da B2BR nesse tamanho só tem a deles e da marca FOUND, mas andei pesquisando sobre possíveis reclamações, opiniões e me deparei com pranchas quebrando prematuramente com poucos dias de uso e de forma bem estranha, fiquei grilado ainda mais por conta da garantia. Tem algumas questões sobre a colocação do copinho em relação q compromete a “integridade” da prancha, mas como não colocar??? enfim, coisas do tipo.
    Valeu pela dica!

    • As GTBoards não são ruins, mas não são as melhores pranchas do mercado, isso que eu quis dizer. E uma prancha pode quebrar independente da marca, inclusive a Found é feita na mesma fábrica das GT’s, com exatamente os mesmos materiais. O copinho pode sim ser responsável pela quebra da prancha, já que o leash vai fazer uma alavanca e forçar a prancha pra baixo as vezes. Mas isso é impossível de se prever. Espero ter ajudado!

  27. Fala ai Fleury!!!

    Irmão! só mais uma opinião!
    Dentre as marcas FOUND, QCD, GT, FUNKSHEN, ERIZOS e NOMAD. Se fosse pra bater o martelo, qual indicaria?
    Abração

    • E aí Ygor… Então, todas essas pranchas que você citou são feitas na mesma fábrica, com os mesmos materiais e mesmíssima mão de obra… Então fica mais no critério de você escolher o shape que mais te agrade ou que funcione melhor nas ondas que você costuma surfar. Espero ter ajudado! Abraço.

  28. Você é o cara nota 1000, eu tenho 1,82 m peso 94 quilos já surfei com ZPoint , Genesis e agora estou surfando com br2br ,43 com bloco PP , pele crosslink e o fundo surlyn não tem comparação de velocidade e que flutua bem na agua. Realmente a genisis precisa em vestir mas mesmo ,mim perdeu como cliente . E vc esta de parabéns pelo seu blog sou seu fã.

    • Obrigado João! Realmente a Genesis meio que parou no tempo mesmo e as marcas importadas (e nacionais fabricadas lá fora) tomaram conta do mercado! Obrigado e grande abraço!

  29. Falae! Parabéns primeiramente pelo blog por tirar a dúvida da galera!

    Então, eu já surfei com science,VS e ultimamente surfei com a Found e hoje em dia surfo ainda, porem com uma nova 2016 que comprei la no Mexico, com o Hector motor.
    as especificações dela são :
    CORE: FREEDOM 6 PP
    DECK: 8lb NXL PP
    RAILS/TAIL: 8lb NXL PP
    BOTTOM SKIN: SURLYN
    PERFORMANCE FEATURES
    FOUND FULL TORSION
    SKINTEC ELBOW PADS
    MR SIGNATURE CONTOUR
    GRADUATED CHANNELS
    FOUND EXO MESH
    FOUND NOSE GRIPS
    50/50 RAILS
    SURLYN BOTTOM SKIN

    Hoje em dia, eu acho ela perfeita par mim, porém sempre quando eu pego uma prancha nova.. eu achei ela melhores que as ultimas hehehe, nao sei se sempre eu acertei, ou por conta de serem novas!
    Eu peso 60 kgs e e 1,78 de altura. e ao longo dessas pranchas, eu sempre diminui, pois achava elas um pouco largas para mim e em manobras aereas, me dificultava um pouco, por exemplo para envergar mais no aereo, tipo asim entende? E hoje em dia, mesmo acho q nao sendo ideal, surfo com uma 39″ ! E nao quero outra vida, tanto em onda pequena buraco, cheia, quanto em onda grande, sempre corresponde muito bem! Moro no litoral norte do RJ.
    Gosto das medidas dela, por ser mais estreita e tal,
    porem mais pra frente, pretendo trocar por uma mais nova, porém aqui no Brasil, nunca vi uma prancha parecida com a minha!(Found), ja vi aquelas das b2br, porem sao bem diferentes!
    E voce me indica uma prancha que também eu iria gostar? que se encaixaria assim como ela encaixou, e que encontrasse aqui no Brasil ?

    Eu penso muito na stealh que lançou agora, que so tem la fora, mas nunca vi pessoalmente nem nada, so olhando as fotos e video, acho interessante..

    • Fala Danilo, tudo beleza? Então, as pranchas Found são bem específicas pra ondas bem buraco e com muita força, tem gente que gosta e se adapta bem, como no seu caso. Pra substituí-la eu recomendo algum modela da Funkshen (a venda na W9) ou alguma prancha da Pride, que tem modelos parecidos, com o bloco bem fino e template super estreito. Fora isso acho que ainda dá pra comprar direto no site da Found, eles entregam no Brasil. Valeu, abraço!

      • Ah, esqueci… Quanto às Stealth, você consegue comprá-las na Bodyboard King, o frete pro Brasil é meio caro mas às vezes vale a pena!

  30. salve, Fleury
    moro em Salvador e vi uma found “modern era” semi-nova por 700 com nadadeira e lasch… mesmo não sendo adequada para as características do mar nordestino (aqui o mar é pequeno no dia-a-dia), a prancha vai render? obrigado desde já!

    abraço
    malcom

    • Fala cara, beleza? Então, Found sao pranchas bem específicas pra ondas com muita força, lógico que funcionam em outras condições também, mas no fim vc vai acabar forçando bastante a prancha e ela não vai durar muito. Eu sugiro que vc junte mais uma grana e pegue uma prancha mais versátil! Valeu!

  31. Boa Tarde!!

    FFleury, estou à procura de infos para comprar uma prancha nova, e foi aqui que tive mais infos!

    Vamos lah: sempre peguei onda com pranchas boas, mas nunca me liguei em tamanho/rabeta e tals. A ultima prancha foi uma Rebel do GT (aquela Duralite meio barca, com grip lateral de neoprene). Eu achava ela um pouco grande e larga (mas ela era larga demais mesmo, quase nao rolava segurar a prancha).

    Lugares que frequento: Guaruja (Pitangueiras/;Sao PEdro) e Litoral Norte SP(Camburi).

    Li que a FOUND (disponivel na B2BR) é um pouco “ruim” para mar pequeno (que é o cenario que mais encontro) e fiquei na duvida em qual comprar, poiis a largura de outras pranchas não me pareceu tão maior. Dado meu tamanho, estou com algumas opções:

    – FOUND MR LTD PP
    – FOUND Revival
    – VS JC LTD Countour
    – PRIDE JH
    – PRIDE Bennett

    Existe alguma que vc descarte, ou alguma muito melhor? Sou meio que um “all around”.

    Muito obrigado!

    • Fala Thiago, em primeiro lugar agradeço a audiência no blog! Quanto a prancha eu sugiro que você dê uma olhada nas GT Boards, são pranchas mais “all around”, que é o que me parece que você está procurando. O modelo Mega-T seria uma bela pedida. Dessas que você listou apenas a Vs. talvez seja mais versátil, as outras são pranchas bem finas e direcionadas pra ondas maiores e com mais força. Você acha as GT Boards em Santos na loja Surf Trunk, ou pela Internet na WNine. Se quiser manda uma mensagem no Facebook pro meu grande colega Abner Scopetta, ele que gerencia a representação das GT Boards aqui em SP. Espero ter te ajudado, abraço!

      • Opa!!! Ajudou muito sim!!!

        Acabei (tinha visto vc indicar aqui) fechando na WNine, via telefone e whats. Achei o atendimento muito bom. E sou chato pra cara**o!

        E como vc mesmo recomendou, fiquei com uma Mega T 41 (alem de ter um shape proximo com o que estou acostumado). Quero ver a diferença de ter uma prancha certo pro seu tamanho!

        Abs!

  32. Fala Paulo, tudo bem cara?

    Já teve oportunidade de usar ou tem maiores detalhes do shape The anwser com Radial Flex da Pride ou da Found MR com Full Torsion?

    Estou querendo incrementar meu quiver para ondas buraco e águas quentes como indonésia com uma dessas duas e estou numa grande dúvida.

    Qual recomendaria?

    Abração

    • Fala Leandro, tudo bem e vc? Então, a Radial Flex nunca usei, mas tenho uma Found com Torsion stringer e é uma boa prancha pra ondas bem fortes e muito buraco. O stringer funciona do mesmo jeito que um normal, mas a prancha acaba flexionando inteira na cavada e não apenas um lado, fora toda o reforço estrutural. Só fique atento porque é uma prancha muito específica, como eu disse ela não anda em ondas cheias e precisa sempre de mar com muita força já que a cavada dela é muito rápida graças ao shape bem estreito com pouco volume. Espero ter ajudado, valeu!

  33. Bom dia Fleury, vc tem alguma notícia se a Genesis continua na ativa? Estou tentando acessar o site deles mas não tem jeito, dá sempre a mensagem “página não existente”. Tenho uma Genesis Roberto Germano 42′ que pra meu tipo vai mto. bem (e pros meus 71 anos…). Se puderes me fornecer o fone ou e-mail deles, te agradeço. Um abraço,
    Jorge

    • Olá Jorge, a Genesis continua sim apesar de não investir muito em mídias sociais e Internet. Fazendo uma busca rápida no Google achei um perfil no Facebook que tem um número de telefone. Anota aí: 21-96427-1209.

      Espero ter ajudado!

  34. Fleury, valeu por toda a informação que vc passa para a gente! De coração te agradeço, irmão.

    Sou de Niterói – RJ, pego onda em Itacoatiara, nada muito grande, até no máximo uns 1,5m. A água é quase sempre morna.
    Já quebrei duas BZ em menos de 6 meses. KKK

    Tô querendo pegar um equipamento melhor, para evoluir no esporte e tbm que me dê maior longevidade no investimento. Ficar gastando grana e quebrando prancha rápido assim é complicado.

    Esse core PE é bom? Vale o preço de R$600,00 ~R$750,00? Qual a diferença entre NXL e IXL? Vale a pena comprar um pé de pato sem ser KPaloa ou The One? Qual pé de pato vc me recomenda levando em consideração o custo benefício? Como escolher um bom Leash? Copinho tem algum critério de escolha? Posso aproveitar o copinho da BZ?

    Desde já agradeço e fica um grande abraço para vc, irmão.

    • Fala Lucas, desculpe a demora em te responder, eu estava viajando. Vamos lá então:
      1. Bloco de PE é bem mais mole que PP, e consequentemente tem menor resistência e durabilidade, funciona bem pra água gelada. Pro Brasil eu não recomendo, a não ser que você goste de prancha extremamente mole escolha uma prancha com bloco PP e fundo Surlyn.
      2. A diferença entre IXL e NXL é a densidade do material. O IXL é bem mais denso e acaba flexionando e trabalhando menos, dando uma resposta e uma cavada mais lentas pra prancha. Todas as pranchas de alto nível vem hoje com deck NXL.
      3. Pé de pato é algo muito pessoal, até pelo próprio formato do pé de cada um. Eu pessoalmente não gosto das opções nacionais e uso Churchill e similares assimétricos, hoje tenho um par de Limited Editions vindos da Austrália. Acho que vale a pena já que os nacionais estão bem caros.
      4. Quanto ao Leash eu procuro sempre ver o que os atletas do circuito mundial usam, recomendo marcas como Pride e Gyroll. Sei que é difícil encontrar por aqui, mas essa infelizmente é a realidade do nosso mercado, não tem jeito. Ainda bem que tem a Internet pra ajudar.
      5. Copinho uso os que vem junto com Leashs Gyroll. Mas imagino que na B2BR eles vendam sim copinhos de qualidade, mas pode sim usar os da BZ, vai do gosto pessoal também. E taí mais um item difícil de se encontrar.
      Espero ter ajudado, qualquer outra dúvida estamos aí, valeu!

  35. Olá Paulo! Blz? Cara, tô precisando de uma ajuda tua com os bodyboards, se possível… Já peguei onda com BZ, WR e com B2br Eder Luciano e gostaria de subir o nível de prancha. As ondas que pego ficam no sul do Brasil e variam de meio metro a 1 metro e meio. Tenho 1.73 e 74 kg. Quais marcas tu indicas atualmente e qual tamanho se encaixa melhor 40 ou 40.5? Aquele sanduíche que comentasse acima também vale para as ondas do sul? E quanto ao stringer, 1 ou 2? Enfim, são várias as dúvidas e agradeço se puderes me ajudar!

  36. Fala Paulo, Tranquilidade?
    Brother, sou do Rio e comprei uma Nomad Chris James Premium PP com Skintec, tem alguma avaliação da prancha e da marca? Comprei pra uma trip pro Norte do Peru (Lobitos) agora em dezembro e to viciado na pranchinha! Tive que deixar a GT do Uri Valadão de lado, rs.
    Alguma dica pra viagem? Já curtiu o norte peruano?
    Abraço!!!

    • Fala Matheus, tudo bem e você? Então, as pranchas Nomad são feitas na mesma fábrica das GT Boards, usando os mesmos materiais e tecnologia. Pelo template dela eu imagino que seja uma prancha boa pra ondas rápidas e cavadas, já que ela parece bem estreita e não deve ter muita borda (como a maioria das pranchas australianas atuais). Quanto a qualidade está na média das importadas, qualifico como uma boa compra dependendo mais mesmo do tipo de onda que você surfa. Quanto ao Peru, eu nunca fui e não conheço. Mas já ouvi falar que tem muitas ondas boas pra Bodyboarding, apesar do frio. Espero que sua viagem seja incrível e que a prancha funcione! Espero ter ajudado, abraço!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s